Prioridade 2

ARCOPOLPLATFORM | TURNKEY | MAREN2

Projeto

ARCOPOLPLATFORM

Chefe de fila

Centro Tecnologico del Mar, Fundación Cetmar (ES)

Parceiros

Instituto Tecnológico para el Control del Medio Marino de Galicia (ES); Universidade de Vigo (ES); Consejeria de Gobernacion y Justicia (ES); Consejería de Medio Ambiente y Ordenación del Territoritorio (ES); Universidad de Cádiz (ES); Instituto Superior Técnico (PT); CIIMAR-Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha (PT); National Maritime College of Ireland (IE); Public Health England (UK); Centre for Environment, Fisheries and Aquaculture Sciences (UK); Consellería do Medio Rural e do Mar (ES); EIGSI-Ecole d'Ingénieurs en Génie des Systèmes Industrie (FR); Conference of Peripheral Maritime Regions of Europe (FR); Marine Institute (IE)

Orçamento / FEDER

1,584,989.39 € / 1,030,243.10 €

Resumo

ARCOPOLplatform pretende melhorar a segurança marítima do espaço Atlântico e reforçar a proteção das regiões costeiras relativamente à contaminação marítima, através da capitalização e da actualização dos resultados de ARCOPOL e ARCOPOLplus. No âmbito do projeto organizar-se-ão ações piloto com as autoridades locais para a implementação dos Planos de Contingência Locais. Estes planos serão reforçados graças à incorporação dos resultados de ARCOPOL (ferramentas e guias de Substâncias Nocivas e Perigosas – SNP) que serão dadas a conhecer em seminários, actividades de formação, “road-shows” e através da Internet. Serão abordadas também as necessidades particulares das zonas protegidas e a monitorização ambiental pós-derrame. Mais ainda, continuarão a ser melhoradas as ferramentas de modelação de derrames desenvolvidas em ARCOPOL, que serão transferidas às autoridades competentes através de cursos específicos. Finalmente, o conjunto de todas as actividades contribuirá para a construção da Plataforma Tecnológica Atlântica. Esta plataforma funcionará como um local de encontro para o setor público e privado relacionado com os derrames de hidrocarbonetos ou SNP. Será um fórum para o intercâmbio de conhecimento, a identificação da oferta e procura tecnológica e o desenvolvimento de iniciativas público-privadas. No projeto participarão 15 sócios de 5 países.

Projeto

TURNKEY

Chefe de fila

North Highland College (UK)

Parceiros

Centro Technologico del Mar-Fundación Cetmar (ES); Instituto Superior Técnico (PT); National University of Ireland (IE); Ecole d'Ingenieurs en Genie des Systèmes Industriels (FR); Fundación Leading Innova (ES); Energy North (UK)

Orçamento / FEDER

2,084,876.71 € / 1,355,169.75 €

Resumo

Turnkey pretende explorar o potencial das energias renováveis do ambiente marinho e costeiro de forma sustentável, assegurando a vitalidade económica, o bem-estar da comunidade e a integridade ambiental, através da dinamização de incentivos dirigidos aos mercados para permitir inovação e investimentos a longo prazo nas tarifas como abordagem padrão, do fornecimento de perspectivas e planeamento de Infraestruturas, do apoio à criação de licenciamento simplificado para a energia renovável marinha; de procedimentos padronizados claros em todas as águas da UE; da partilha de recursos e de uma rede transnacional de conhecimento.

Projeto

MAREN2

Chefe de fila

Cardiff University (UK)

Parceiros

National University of Ireland, Galway Department of Civil Engineering (IE); Institut Français pour la Recherche et l'Exploitation de la Mer-IFREMER (FR); Universidad de Cantabria, Fundación Instituto de Hidraulica Ambiental ed Cantabria (ES); Instituto Superior Técnico (PT)

Orçamento / FEDER

1,052,952.25 € / 684,418.96 €

Resumo

O projecto aborda o tema das barreiras ao aceleramento de produção de energias marinha renováveis: custos, ameaças ao património natural e pescas, equilíbrio no uso de espaço marítimo entre os vários interessados, etc.

MAREN2 propõe reduzir custos através do planeamento de plataformas multiusos, do uso diversificado das mesmas infraestruturas e do aumento do envolvimento dos investidores no planeamento, de forma a minimizar e acelerar a implementação à escala real através do diálogo adequado e das poucas objecções do publico em relação aos planos.

É necessário encontrar a melhor forma de produzir o máximo de energia no menor espaço possível, seja combinando diversas aplicações numa só plataforma ou partilhando as mesmas infraestruturas, serviços ou logísticas entre várias aplicações individuais. Pretende-se encontrar qual a hipótese mais adequada, utilizando ferramentas como a análise Custo-Benefício e avaliações de Impacto Ambiental desenvolvidas. Aplicar-se-ão estes resultados ao planeamento conceptual de equipamentos. Os resultados serão usados para melhorar o planeamento, por forma a maximizar a eficiência e o custo efectivo da energia produzida enquanto o impacto ambiental colateral é minimizado e as comunidades costeiras sustentavelmente apoiadas na sua componente social.

Acções do Documento
União Europeia